Os Caminhos que Levam a Galway

 

Uma das primeiras preocupações dos brasileiros interessados em fazer o intercâmbio é saber qual cidade escolher para morar durante o período que (obrigatoriamente) estará matriculado em uma escola de inglês.

Para tomar esta decisão, alguns fatores devem ser levados em consideração e um deles é certamente o que a cidade-residência terá para oferecer em termos de cultura e lazer, uma vez que está inerente ao intercâmbio o conceito de imersão à cultura local.

Galway também conhecida por Gaillimh (língua nativa) é a quarta cidade mais populosa da República da Irlanda. Estimativas apontam para uma população que não ultrapassa 100 mil pessoas (75.414 segundo senso 2011). Cortada pelo Rio Corrib, a cidade está localizada na província de Connacht entre o lago Corrib (Lough Corrib) e a Baia de Galway, no Atlântico.

Pelo menos três escolas recebem brasileiros para o intercâmbio de inglês. Além disso, a cidade, que também é conhecida por ser um importante centro-universitário, possuindo três grandes instituições de ensino superior: a Universidade Nacional da Irlanda – Galway (NUI Galway); o Instituto de Galway-Mayo de Tecnologia (GMIT) e Instituto Técnico Galway.

A cidade também é polo-turístico e conhecida como porta de entrada para Europa. Nela ainda estão preservadas as tradições e os costumes que podem ser conferidos pela língua nativa (Irish) usada como opção por moradores (e presente em todos os sinais de comunicação), além da valorização da cultura e da arte encontradas em galerias e lojas, bem como nas ruas e praças da cidade com características medievais. A cidade conta ainda com museu e teatro com atividades sazonais.

Por ser um centro de atração educativa, a cidade possui uma grande população de jovens estudantes a procura de lazer e diversão. Entre eles se misturam os brasileiros que contam sobre suas experiências.

“Galway foi um achado em minha vida. Aqui trabalho e estudo e tenho minha rotina de atividades que me dão muito prazer com retorno de uma vida mais tranquila, saudável e com muitos amigos espalhados pela cidade”, afirma o estudante paulista Danilo Charete.

O também paulista Felipe Polas também compartilha da mesma opinião. “Estive em Galway por um ano para o intercâmbio e gostei tanto que estou de volta para mais um período nesta que considero minha primeira cidade fora do Brasil”, acrescenta.

Para a canadense Andrea Westcott-Lacoursiere, 21 anos, a cidade oferece mais que o aperfeiçoamento profissional, uma vez que possui uma perfeita atmosfera para conciliar os estudos com as atividades de lazer. “Gosto das pessoas e de fazer novas amizades. Aqui encontro o ambiente adequado para minhas realizações e interação com amigos nas ruas e em pubs para nossa diversão”, diz a universitária.

Atrações

Falar de Galway é falar de seus famosos pubs e de milhares de restaurantes e cafés espalhados pelo centro da cidade e regiões. Duas são as regiões mais frequentadas: o Centro da cidade (Shop Street – rua principal da cidade que liga a principal praça da cidade – Eyre – ao Spanish Arch na ponte do Rio Corrib, passando por diversas lojas, pubs, joalherias e shoppings), al[em do centro urbano de Salt Hill (bairro localizado na baía de Galway).

Além disso, visitantes e moradores podem conferir o Canhão de Eyre Square (na praça) e o Castelo de Lynch transformado em loja. A Igreja de Collegiate Church Irlanda St. Nicholas é a maior igreja medieval ainda em uso todos os dias na Irlanda. Foi fundada em 1320 e ampliada nos dois séculos seguintes. É um edifício particularmente agradável no coração da cidade velha.

Não muito longe dali fica a famosa Catedral de Galway, erguida em 1849, com sua magnifica cúpula em edifício quadrilátero original da Universidade Nacional da Irlanda, como uma das três faculdades da Universidade da Rainha da Irlanda (junto com a rainha da Universidade de Belfast e University College Cork). A universidade detém o arquivo da UNESCO de material falada para as línguas celtas.

Outro dos edifícios de pedra calcária da cidade é o Hotel Meyrick , originalmente o Hotel Railway e, em seguida, o Great Southern Hotel, construído pela Great Southern Railway Company em 1845. Sentado no perímetro sul da Praça Eyre, é o hotel mais antigo da cidade ainda em funcionamento .

O Arco Espanhol, no sudoeste da cidade, construído na década de 1580 como uma extensão para as muralhas da cidade, uma parte do que pode ser vista no centro comercial Corbett Court. Em frente ao Arco espanhol é um monumento a Cristóvão Colombo. Ele foi apresentado a Galway pela cidade de Gênova , em 1992 , para comemorar tanto o 500º aniversário da viagem para o Novo Mundo quanto a visita de Colombo em Galway (1477).

O Canal de Eglinton, em homenagem a um ex- senhor tenente da Irlanda, se junta ao rio Corrib para o mar, e fluindo por apenas mais de um quilômetro, é um passeio muito agradável pela Universidade para o Claddagh.

O Claddagh é a parte mais antiga de Galway , mas pouco ou nada resta da sua antiga aldeia de palha. No entanto, em um altar lateral da igreja paroquial, St Mary on the Hill, é a estátua medieval de Nossa Senhora de Galway e visitantes, em meados de agosto, pode participar no antigo ritual da Bênção da Baía, no domingo mais próximo a festa da Assunção.

A porta Bowne, originalmente localizado na Lower Abbeygate Street, mas agora de pé na extremidade norte da Eyre Square, foi a porta de entrada para a moradia da família Browne.

A Janela de Lynch, (na rua do mercado), comemora uma das lendas mais duradouras da cidade. Aqui, em 1493, o prefeito James Lynch FitzStephen enforcou o seu próprio filho acusado de assassinato.

O Salão do Conde Vermelho pode ser visto através de uma parede de vidro de proteção off Flood Street. É o mais antigo fragmento de assentamento medieval a sobreviver dentro dos muros da cidade. Foi construído pela família de Burgo no século 13 e era um edifício municipal chave para a cobrança de impostos, administração da justiça e banquetes de hospedagem.

Galway Atlantaquaria que é também o Aquário Nacional da Irlanda pode ser visitada na avenida no subúrbio de Salthill.

Enfim, visitar a Irlanda é também conhecer Galway e suas atrações. Este é um privilégio para os estudantes brasileiros que têm a oportunidade de morar por um período neste local magnífico e cheio repleto de lendas, histórias e belezas naturais. Daqui, levam mais que o aprendizado da língua inglesa, pois colocam em sua bagagem as melhores lembranças e o jeito mais genuíno do irlandês viver.